Único com Certificado Anvisa - Frete Grátis para Todo Brasil - Parcele em 10x Sem Juros - WhatsApp (44) 99138-3300

Deficiência física não é obstáculo para a Maternidade

Hoje, Dia Internacional das Mulheres, vamos falar sobre um assunto muito especial à elas: a maternidade!

Mas afinal, mulher com deficiência pode engravidar?

A sociedade ainda associa a deficiência física como uma condição de incapacidade, e quando o assunto é deficiência e maternidade, as mulheres com deficiência são vistas como incapazes de engravidar e serem mães.
 

Lembremos também que as pessoas com deficiência, desde que conscientes de seus atos, tem vida sexual ativa, sentem desejos e prazer. As cadeirantes mantém sua fertilidade sem alterações em relação à deficiência.

Portanto, vale dizer: mulher cadeirante pode ter filhos!


http://www.realmaternidade.com.br/2015/08/26/cadeirante-pode-ter-filho/


E como toda mulher, os cuidados devem começar logo que a gravidez é identificada, durante o pré-natal. É nesse momento que o médico definirá os procedimentos mais adequados a cada caso, respeitando as peculiaridades de cada paciente, para que a gravidez na vida de uma cadeirante seja tranquila e prazerosa.

O Sistema Único de Saúde (SUS) está preparado para acompanhar todo o processo de gestação dessas mães. Do acolhimento e orientação ao casal até o momento do parto. Durante a gestação também são realizados exames de avaliação do desenvolvimento do feto e da saúde da mãe.

O procedimento durante a gestação de uma grávida com deficiência segue o mesmo fluxo de qualquer gestação. As orientações são particulares a cada gestação independente da deficiência, que neste caso, é considerado apenas como uma condição a mais a ser observada, mas que não significa obrigatoriamente gravidez de risco.

No caso de mulheres que fazem uso de cadeiras de rodas, a orientação é que durante a gravidez ela possa ser acompanhada por outros profissionais como fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais que a auxiliem na realização de exercícios terapêuticos e reordenação de suas atividades cotidianas, visando atenuar, por exemplo, problemas circulatórios.

A realização do parto cesariana só é recomendado quando representar maior proteção à saúde da mãe e do bebê. Isso significa que o mito de que a mulher com deficiência tem que ter cesárea é incorreto. Devem ser feita apenas se recomendado pelo médico que realiza o acompanhamento de sua gestação.



http://www.cantinhodoscadeirantes.com.br/2017/08/por-receio-guardei-o-sonho-de-ser-mae.html


Mulheres com deficiência devem agir como donas de seus corpos e exercer sua autonomia. Encontrarão obstáculos mas com ajuda, superarão com certeza. O fato de estar em uma cadeira de rodas não impedirá a mulher a querer e poder viver o maior amor da sua vida que é a maternidade.


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados